A prestação de serviços descontínua não configura vínculo

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

VÍNCULO EMPREGATÍCIO DOMÉSTICO NÃO CONFIGURADO. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DESCONTÍNUA. AUSÊNCIA DOS REQUISITOS DO ART. 1º DA LEI Nº 5.859/72. A prestação de serviços descontínua, consubstanciada em faxinas em um ou dois dias por semana, no âmbito residencial da família, não configura o vínculo contratual de trabalhador doméstico, por falta de pressuposto. Diferentemente do que consta no art. 3º da CLT, o qual exige a habitualidade, há regra específica na Lei nº 5.5859/72 que exige, para configuração do vínculo de doméstico, a continuidade. A prestação de serviços descontínua, no âmbito residencial e sem fim lucrativo caracteriza a atividade de diarista, apenas. ACORDAM os Magistrados da 4ª TURMA do Tribunal Regional do Trabalho da Segunda Região em: por unanimidade de votos, com restrições quanto à fundamentação do Exmo. Sr. Desembargador Ricardo Artur Costa e Trigueiros, negar provimento ao recurso, mantendo-se incólume a r. sentença, por seus próprios e jurídicos fundamentos.

Ver o voto do relator do V.Acórdão: 20081087297 TRT/SP

Fonte: Tribunal Regional do Trabalho da 2a. Região